00:00:00
21 Sep

FPI autua lojas que vendiam produtos sem licença ambiental em Palmeira dos Índios, Alagoas

 

As equipes da FPI do São Francisco flagraram a venda de medicamentos e produtos sem licença ambiental em quatro estabelecimentos comerciais de Palmeira dos Índios, Agreste de Alagoas. Os donos desses locais foram autuados, e receberam prazo para apresentar defesa.

A Fiscalização Preventiva Integrada do São Francisco é realizada pelo Ministério Público (MP-AL) em parceria com diversos órgãos.

Nos estabelecimentos fiscalizados em Palmeira, foi detectada a venda de medicamentos veterinários, produtos domissanitários (utilizados no controle de pragas urbanas) e inflamáveis, que exigem licença ambiental para serem comercializados. Isso porque representam risco para a saúde humana.

“Os estabelecimentos precisam, por exemplo, de um laudo, feito por profissional competente, que analisará se o local está adequado, ou mesmo se há condições para vender os produtos. E este é só um dos requisitos para a venda dos produtos. Esses materiais podem provocar danos à saúde das pessoas, se manipulados ou acondicionados de maneira errada”, explica o coordenador da equipe de produtos perigosos, Josean Leite.

Um fiscal do Instituto do Meio Ambiente (IMA-AL) lavrou autos de infração, e os proprietários desses estabelecimentos têm até 20 dias para fazer sua defesa junto ao órgão. Esses autos podem gerar multas que podem chegar a quase R$ 13 mil, na ausência de explicações.

Os proprietários autuados ainda podem solicitar as licenças ambientais para comercializar esses produtos. A venda sem autorização fere a legislação estadual e federal.

A FPI ressalta ainda que não foram encontrados agrotóxicos nos lugares visitados. O coordenador dessa área da fiscalização acredita que isso se deve ao trabalho preventivo realizado por eles.

“Era comum a venda de agrotóxicos clandestinamente, sem a autorização da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), e com a ausência da devida licença ambiental para esse tipo de comercialização. Desta vez, não encontramos o produto em nenhum dos estabelecimentos fiscalizados em Palmeira dos Índios”, ressalta Leite.

Ainda durante a ação, o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) lavrou quatro Comunicações de Ocorrência Policial (COPs), que serão enviados ao MP, para que sejam tomadas as medidas necessárias.

You may be interested

Atlas Quantum é condenada a reembolsar cliente
Brasil
Brasil

Atlas Quantum é condenada a reembolsar cliente

Maria Pazetto - 20/09/2019

Envolvida em diversos processos judiciais por não cumprir o que promete, a Atlas Quantum, empresa criado pelos empresário RODRIGO MARQUES DOS SANTOS e FABRICIO SPIAZZI SANFELICE,  foi condenada…

Último dia de seu mandato, Raquel Dodge,‘liberou’ casos de Eunício e Aécio
Lava jato
2 Visualizações
Lava jato
2 Visualizações

Último dia de seu mandato, Raquel Dodge,‘liberou’ casos de Eunício e Aécio

Maria Pazetto - 20/09/2019

A Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) requerimentos de declínio de competência de inquéritos que investigam, na Lava Jato, os ex-senadores Eunício Oliveira (MDB-CE)…

Aposentados da AL Previdência com nomes iniciados em N, O, P e Q devem fazer o recadastramento obrigatório
Alagoas +
1 Visualizações
Alagoas +
1 Visualizações

Aposentados da AL Previdência com nomes iniciados em N, O, P e Q devem fazer o recadastramento obrigatório

Maria Pazetto - 20/09/2019

Os aposentados da Alagoas Previdência com nomes iniciados com as letras N, O, P e Q devem fazer o recadastramento obrigatório a partir desta quinta-feira (19) até…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Most from this category